Ginecologista

Endometriose

Foto: BruceBlaus. When using this image in external sources it can be cited as:Blausen.com staff (2014). "Medical gallery of Blausen Medical 2014". WikiJournal of Medicine 1 (2). DOI:10.15347/wjm/2014.010. ISSN 2002-4436. / CC BY (https://creativecommons.org/licenses/by/3.0)

 

Doença caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga.

Todos os meses, o endométrio fica mais espesso para que um óvulo fecundado possa se implantar nele. Quando não há gravidez, esse endométrio que aumentou descama e é expelido na menstruação. Em alguns casos, um pouco desse sangue migra no sentido oposto e cai nos ovários ou na cavidade abdominal, causando a lesão endometriótica. As causas desse comportamento ainda são desconhecidas, mas sabe-se que há um risco maior de desenvolver endometriose se a mãe ou irmã da paciente sofrem com a doença.

É importante destacar que a doença acomete mulheres a partir da primeira menstruação e pode se estender até a última. Geralmente, o diagnóstico acontece quando a paciente está na faixa dos 30 anos.

Hoje, a doença afeta cerca de seis milhões de brasileiras. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose, entre 10% a 15% das mulheres em idade reprodutiva (13 a 45 anos) podem desenvolvê-la e 30% tem chances de ficarem estéreis.

Fonte: gineco.com.br

Miomas

Foto: Banco de Imagem


uterine malformation. These are changes in the uterus that can decrease the chances of pregnancy for either natural or artificial conception. 3d rendering

Miomas ou fibromas são tumores benignos do útero, consistindo em uma desordem hormonal que causa um enovelamento das fibras musculares e assim, forma nódulos nesse órgão. Geralmente, localizam-se no trato genital. Possuem uma coloração esbranquiçada e sua consistência é firme. Em sua maioria, os miomas são múltiplos.
Fibroma é uma doença que afeta cerca de 50% das mulheres, em sua maioria de pele negra. Outros fatores que elevam a propensão do desenvolvimento do mioma são a obesidade e a nuliparidade (não ter filhos).
O estrogênio é o principal causador dessa doença. Por isso, a maior incidência de miomas ocorre no período máximo da reprodutividade feminina, até a chegada da menopausa.

Fonte: gineco.com.br

Adenomiose

Foto: http://zaft.com.br/cms/upload/ceb/adenomiose.jpg

A adenomiose uterina é uma doença que desencadeia um espessamento dentro das paredes do próprio útero provocando sintomas como dor, sangramento ou cólicas fortes, especialmente durante a menstruação.

Esta enfermidade tem cura através da cirurgia para retirada do útero, porém, este tipo de tratamento só é feito quando os sintomas não conseguem ser controlados com remédios anti-inflamatórios ou hormônios, por exemplo.

Os primeiros sintomas de adenomiose podem surgir 2 a 3 anos após o parto, mesmo nos casos em que a mulher já tem adenomiose desde a infância, e geralmente deixam de surgir após a menopausa, quando o ciclo menstrual deixa de acontecer.

A adenomiose é o mesmo que endometriose?

A adenomiose é considerado um tipo de endometriose. A endometriose é o crescimento de tecido do endométrio fora do útero, e o que acontece na adenomiose, é o crescimento deste tecido especificamente dentro do músculo do útero.

Além disso, existem vários tipos de adenomiose, e esta pode ser focal, quando se localiza numa determinada região do útero, ou difusa, quando se espalha por toda a parede do útero, deixando-o mais pesado e volumoso.

Fonte: http://endometrioseba.com.br/

Prolapso genital

Foto: Banco de Imagem

No prolapso da vagina, a parte superior da vagina cai em direção à parte inferior, de modo que a vagina vira do avesso. A parte superior pode cair parcial ou totalmente através da vagina, projetando-se para fora do corpo e causando o prolapso vaginal total. Normalmente, a cistocele ou a retocele também estão presentes.

O prolapso vaginal total pode causar dor ao se sentar ou caminhar. É possível que ulcerações surjam na vagina saliente e causem sangramento e corrimento. Assim como é o caso do prolapso de útero, o prolapso de vagina pode causar problemas com a micção. Evacuar também pode ser difícil.

Fonte: https://www.msdmanuals.com/